Comunicação será bola da vez na abertura das finanças

Sem trocadilho, temos aqui a pergunta do milhão. E os números obtidos nesta jornada dos serviços e produtos financeiros de um passado recente, que beirava o artesanal, ao tom futurista do cenário de hoje, são mesmo expressivos.

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), já no primeiro ano de implementação, mais de 231 milhões de chamadas de APIs (interface de programação de aplicações) foram bem-sucedidas, entre os participantes do sistema.

A evolução agora tende a ser maior ainda, à medida que o Open Insurance e o Open Investment vão tomando corpo, respectivamente, nas áreas relacionadas a seguros e investimentos.

Estes setores agora terão pela frente o mesmo desafio que os bancos hoje enfrentam, ou seja, oferecer aos clientes um grau de customização tão inédito quanto a transparência reinante na área.

De acordo com um estudo da CVA Solutions, ouvindo no ano passado mais de 5,6 mil correntistas do país inteiro, as instituições financeiras e fintechs preferidas foram as que focaram a experiência do usuário, via operações simplificadas e rápido atendimento às suas solicitações.

Em suma, clima e mercado existem para a consolidação dessa nova forma de gerir assuntos de cunho financeiro, o que não elimina a dúvida suscitada no início, isto é, será que o brasileiro já foi suficientemente sensibilizado das vantagens trazidas por tanta abertura de dados?

Acostumada a ver desvios de finalidade em inúmeros campos da vida nacional, estaria a população realmente convencida da segurança existente em todo esse processo, no qual seu expresso consentimento continuará sendo fundamental?

E o que dizer do rigoroso tratamento previsto pela Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, a tão comentada LGPD, no tocante à privacidade de todo cidadão e cidadã?

Pelo que tudo indica, os desafios tecnológicos vencidos até aqui pelos artífices deste mundo totalmente novo nas finanças brasileiras agora se voltam ao aspecto comunicação, e com boas perspectivas de também resultar em êxito, desde que encarados com iguais aplicação e rigor.