terça-feira, dezembro 7, 2021
InícioCursos e ConcursosGoverno da PB anuncia nomeação de 589 professores; sindicato

Governo da PB anuncia nomeação de 589 professores; sindicato

O governador João Azevêdo (Cidadania) anunciou na última segunda-feira (15), a nomeação de 589 professores de Instrução Básica 3, aprovados em concurso público realizado em 2019 e convocados em novembro do ano pretérito. Os professores terão seus atos de nomeação publicados no Quotidiano Solene desta terça-feira (16) e começarão a tomar posse no missão nas 14 Gerências Regionais de Ensino.

Leia mais: O Brasil não está quebrado: entenda o porquê

O concurso público foi realizado em 2019 e ofertou 1000 vagas, em conformidade com o Edital n. 01/2019/SEAD/SEECT. Em janeiro de 2020, 1.000 candidatos aprovados e classificados tiveram a nomeação e convocação realizada pelo Governo do Estado.

Antônio Arruda, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instrução do Estado da Paraíba (SINTEP/PB), comenta a nomeação: “A gente parabeniza aos concursados, os 589 professores, mas desde já os chamamos para a luta porque o concurso público é a forma correta de ingressar no serviço público, e a nossa luta é para que o concurso não seja só para professores, mas para todos os profissionais de instrução”, ressalta ele.

O presidente aproveita para ressaltar que, na Paraíba, há mais prestadores de serviço do que pessoal no quadro efetivo. Segundo ele, no último levantamento contabilizou 7.600 professores prestadores de serviço para 6.800 professores do quadro efetivo.

“Quando levantamos para todos os profissionais da instrução, o pessoal do escora pedagógico, praticamente não temos quadros efetivos, são quase todos terceirizados onde a situação é precária. Desde quando o governo criou as OS’s e deu no que deu porque não fizeram zero pela instrução. Até reformas que o ex-governador Ricardo Coutinho falava que era para fazer, as escolas estão cheias de mato e a maioria quebrada”.

Sobre as vacinas 

Antonio Arruda acrescenta que a categoria decidiu tomar um posicionamento em dezembro, de que não retornarão às atividades enquanto os profissionais de instrução não forem vacinados.

Leia também: Cinco mentiras sobre o retorno das aulas presenciais

“Não vale a pena os professores e o pessoal de escora pedagógico se sujeitarem a trabalhar numa pandemia porquê esta que estamos vendo aí. Agora mesmo a Paraíba está em subida no índice de contaminação e mortalidade. Logo, a nossa luta é pela vida. Queremos que o governo priorize os profissionais da instrução para que possamos retornar com mais tranquilidade e segurança necessária”, conclui ele.


 

Nascente: BdF Paraíba

Edição: Maria Franco

LINKS PATROCINADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

MAIS ACESSADOS

COMENTÁRIOS MAIS RECENTES