Polícia canadense confisca US$ 36 milhões em criptomoedas roubadas

Um jovem da cidade de Hamilton, em Ontario, foi recluso por se envolver em um enorme roubo de criptomoedas, equivalentes a 46 milhões de dólares canadenses (ou US$ 36 milhões).

O sujeito havia sido especificamente recluso pelo roubo de mais de C$ 5 milénio, além da posse de propriedade ou lucros de propriedade obtidos via atividades criminais.

O caso de US$ 36 milhões, que agora está no tribunal, começou em março de 2020.

A Polícia de Hamilton entrou em uma investigação em conjunto com o Departamento Federalista de Investigação (ou FBI, na {sigla} em inglês), o Serviço Secreto dos EUA (ou USSS) e a Força-Tarefa de Crimes Eletrônicos (ECTF).

O roubo das criptomoedas envolveu uma vítima que estava nos Estados Unidos.

“A vítima foi claro de um ataque de chip [SIM swap], um método de invadir contas valiosas ao manipular funcionários de redes de celular a duplicarem números de telefone para que quem estiver ameaçando possa interceptar pedidos de autorização de dois fatores”, explicou a polícia de Hamilton.

Por meio do ataque de chip, aproximadamente C$ 36 milhões em criptomoedas foram roubados da vítima.

“Atualmente, esse é o maior roubo de criptomoedas já relatado por uma pessoa”, acrescentou a polícia.

A investigação também descobriu que uma porção das criptomoedas roubadas foi usada para comprar um nome de usuário on-line que era “considerado vasqueiro na comunidade dos jogos”.

Cripto e o violação por jovens

Essa não foi a primeira vez que um jovem esteve envolvido em atividades criminosas relacionadas a criptomoedas.

Em outubro, um jovem (de quem nome não foi relevado) no Reino Uno teve US$ 2,7 milhões em bitcoin (BTC) confiscado pela polícia posteriormente uma “fraude cibernética sofisticada”.

O jovem havia criado um site falso e usou milhares de libras de vouchers roubados para comprar a criptomoeda.

Ele recebeu uma ordem de restauração de 12 meses pelo tribunal lugar.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Promanação com autorização do Decrypt.co.